quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz 2010 !







O meu desejo para o próximo ano é que cada pessoa possa relembrar os seus sonhos e ter forças para lutar por eles.
Que possamos criar um futuro melhor para todos nós baseados na tolerância e na paz.
Que exista mais cooperação e menos competição.
Que cada pessoa faça suas ações em favor do meio ambiente. Cada gesto por mais insignificante que pareça repercute imensamente na sustentabilidade da terra. Faça sua parte.
Que os homens aprendam a usar com responsabilidade e eficiência tudo o que a natureza oferece.
Feliz Ano Novo.

Vi os cartões no blog do Marcelo e adorei. Eles são do desenhista Fábio Yabu diferente dos tradicionais eles dão altas dicas sobre sustentabilidade.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

UM NATAL A MAIS, SERÁ?

Todos os anos costumo escrever um artigo
ou uma mensagem, quando o Natal se aproxima.

E cada vez que escrevo mais e mais busco encontrar bons motivos e boas razões
e o que possa ser positivo, para participar
destas minhas reflexões natalinas.

Mas, confesso, falta- me esta motivação diante
de tantos que falam e escrevem sobre Paz e Amor, num mundo onde, cada vez mais, o que vemos
é a violência desenfreada, em suas mais variadas formas e conteúdos.

E onde o amor, ao contrário de ser amor,
passa cada vez mais a ser desamor.

Ou pior: uma simples palavra que deve ser envolvida numa embalagem de papel
para presente ou para exportação.

Sim, infelizmente constato que diante de desgraças e das catástrofes, como as enchentes
que vitimaram tantos
em nosso país, o que vemos diante de nós,
nas Tvs e nos jornais e revistas,
é a chamada solidariedade de ocasião!

Que se revela através da doação de roupas,
de artigos de cama e mesa, de brinquedos,
de mantimentos não perecíveis, de ajuda financeira, etc.

Como se os que assim agem mostrassem,
de fato, com essas suas atitudes, uma verdadeira
e sincera demonstração de amor ao próximo.

Mas me pergunto por que nenhum de nós
desce ao ponto crucial da questão?

Sim, será que todos que, depois da desgraça, apresentam-se como tão humanitários
e solidários desconhecem que foram eles
que elegeram os governantes destes estados?

Os seus governadores, deputados estaduais, prefeitos e vereadores?

Nos últimos 10/20/30 ou mais anos.

E que nenhum deles, políticos eleitos com os seus votos, nada fizeram para que tais catastrófes fossem evitadas e não acontecessem nas proporções gigantescas que todos nós assistimos!

E isso é mostrado e provado por todos
os especialistas nas área de geologia, metereologia, ecologia, bio-diversidade,
proteção ambiental e tantos outros
que estudaram em detalhes e profundamente
o que aconteceu.

Afirmam eles que tal situação de descalabro ambiental é resultante, na sua maior parte,
de omissão e de incompetência política,
e de ausência de políticas preservacionistas em relação ao meio ambiente.

E de um desmatamento cada vez maior acompanhado da não despoluição
de rios, de córregos, de lagoas, etc.

Mas sobretudo da corrupção que permite
que grandes empresas façam tudo, com o meio ambiente, que não é permitido.

E não se salva desta imensa lista,
de predadores do meio ambiente,
nem mesmo a Petrobrás que recebeu
nos últimos dez anos inúmeros autos
de infração e multas por vazamentos de óleo combustível e por infrigência às leis ambientais.
E ela para não pagar estas multas,
junto com outras empresas igualmente infratoras,
recorre sempre às instâncias
jurídicas superiores!

E com isso as multas passam a ser apenas papel sem valor!

Sim, ninguém paga, nem é responsabilizado
no Brasil pelos crimes ambientais!

É tudo um grande faz de conta com o Ministro Carlos Minc ( um homem que se preocupa mais com os seus coletes e a sua aparência) vindo para a TV e para os jornais todos os dias
afirmando que tudo,
em sua pasta, está cada vez melhor!

E que o desmantamento na Amazônia
reduziu-se e está diminuindo!!!!

Esquecendo por incapacidade, cegueira ou má fé de colocar a questão de forma correta.

Que a continuar no ritmo atual, ( este que ele afirma estar menor do que nos anos anteriores) em pouco mais de dez anos a Amazônia terá uma redução de mais de 50 % em sua área original
que deveria, de fato, ser preservada intacta.

E a nossa bio- diversidade, animais, plantas, aves
e toda a vida floral e animal terá diante de si
uma extinção de espécies ainda maior!

O que sequer é uma prioridade governamental!

Ou o Ministro Minc e todos os demais políticos desconhecem que, hoje, no final de 2009,
dezenas de espécies estão extintas
ou prestes a desaparecer em nosso país?

Desconhece o acontecido com a nossa Mata Atlântica, que por não ter nenhuma proteção, concreta e efetiva, representa, hoje, menos de 5% do que abrangia, quando o homem começou
o seu contínuo e permanente desmatamento
e destruição.

Por isso não vejo como podem estar de consciência tranquila tantos que se mostram agora, depois da desgraça ocorrida em tantos estados brasileiros, solidários de última hora.

Sim, onde estavam eles, voltamos a indagar, quando votaram em políticos que já se mostravam, a maioria, históricamente,
incompetentes e corruptos?

Que sempre dirigiram estados e municípios olhando, em primeiro lugar, os interesses
próprios e nunca os das suas populações.

Sim, basta de tanta inocência ou hipocrisia!

Neste Natal é chegada a hora de refletirmos sobre as razões de tanta desgraça.

Pois se nada for feito, como sempre acontece,
no futuro, novamente, tudo voltará a acontecer!

Da mesma forma que aconteceu
em todos esses últimos anos!

Sim, temos que denunciar tanta ingenuidade !!!
dos que agora se revelam tão "solidários e prestativos".

Pessoas e empresas que aparecem
para "ajudar" mas que contribuiram
e muito para que tudo isso acontecesse,
através da omissão, da passividade,
da indiferença e até mesmo
da ignorância em relação aos danos
e a destruição sistemática que o homem está causando ao seu próprio planeta.

Pessoas que fecharam os seus olhos
e continuam com eles fechados a espera
da próxima catástrofe que certamente,
em pouco tempo, virá!

Pessoas que estão permitindo e aceitando,
a pretexto de um falso progresso
e desenvolvimento, a destruição de nossas reservas florestais e minerais
e da nossa bio diversidade!

São essas e outras tantas razões, que me fazem imaginar mais este Natal apenas como uma festa de shoppings, de comércio, de consumo e de gente que só se reúne, para estar juntos,
em festas ou em velórios.

Gente que se considera Ser Humano mas que, em minha modesta visão, nunca foi nem será!

Gente que faz parte apenas da paisagem que,
como rios, florestas. lagos, animais e plantas, desaparecerá destruída pelo próprio homem!

Aos restantes, àqueles que ainda possuem discernimento, bom senso, capacidade
de entendimento, de reflexão
e de questionamento, eu desejo de fato
um excelente Natal.

Mas uma festa sem tantas árvores de Natal
com lâmpadas importadas da China, fabricadas
por escravos que ganham 50 reais por mês.

Sim, para estes poucos, desejo um Natal,
onde o pensamento esteja voltado para Jesus,
que é o mais ausente de todas estas comemorações.

E para um Deus que não tenha nada a ver com aquele que o homem criou, para ser, também,
o seu objeto de consumo e de comércio.

Um Deus que esteja onde estiver,
por mais que seja esquecido, estará pensando
em nos perdoar.

Roberto Romanelli Maia é escritor, jornalista e poeta

Feliz Natal


Via Caricaturque

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Prêmio Esso de Fotografia 2009 - Exilados na Fome



O fotojornalista Arnaldo Carvalho foi o ganhador do prêmio Esso de fotografia de 2009. Prêmio mais que merecido a julgar pelas imagens. Seu trabalho ilustrou a série de reportagens "Exilados na Fome" do jornal do Commercio de Recife.

domingo, 20 de dezembro de 2009

COP 15 - Desastre histórico

Desastre, fracasso, falta de consenso, incapacidade de decisão. Estas foram algumas das formas como foi definida a 15 Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima, realizada na Dinamarca. Durante duas semanas o mundo se voltou para as decisões que lá seriam tomadas. Esperando o "Acordo de Copenhague" que substituiria o protocolo de Kyoto válido até este ano. Um novo acordo seria importante pois de acordo com o IPCC (Intergovernmental panel in change), [relatório sobre aquecimento global], o homem é o principal responsável pelo aquecimento.Todos os países então teriam que travar metas de redução de gases a partir do ano que vem 2010 até 2020. Um dos grandes problemas ainda é que as decisões estão nas mãos de poucos e países como os Estados Unidos e China, grandes poluidores, não querem fazer modificações profundas em suas economias. Os 119 lideres reunidos não selaram nenhum pacto. O texto final foi escrito pela ONU.

Os principais pontos foram:

-O acordo é de caráter não vinculativo, mas uma proposta adjunta ao acordo pede para que seja fixado um acordo legalmente vinculante até o fim do próximo ano.
- Considera o aumento limite de temperatura de dois graus Celsius, porém não especifica qual deve ser o corte de emissões necessário para alcançar essa meta
- Estabelece uma contribuição anual de US$ 10 bilhões entre 2010 e 2012 para que os países mais vulneráveis façam frente aos efeitos da mudança climática, e US$ 100 bilhões anuais a partir de 2020 para a mitigação e adaptação. Parte do dinheiro, US$ 25,2 bilhões, virá de EUA, UE e Japão. Pela proposta apresentada, os EUA vão contribuir com US$ 3,6 bilhões no período de três anos, 2010-12. No mesmo período, o Japão vai contribuir com US$ 11 bilhões e a União Europeia com US$ 10,6 bilhões.
- O texto do acordo também estabelece que os países deverão providenciar "informações nacionais" sobre de que forma estão combatendo o aquecimento global, por meio de "consultas internacionais e análises feitas sob padrões claramente definidos".
- O texto diz: "Os países desenvolvidos deverão promover de maneira adequada (...) recursos financeiros , tecnologia e capacitação para que se implemente a adaptação dos países em desenvolvimento"
- Detalhes dos planos de mitigação estão em dois anexos do Acordo de Copenhague, um com os objetivos do mundo desenvolvido e outro com os compromissos voluntários de importantes países em desenvolvimento, como o Brasil.
- O acordo "reconhece a importância de reduzir as emissões produzidas pelo desmatamento e degradação das florestas" e concorda promover "incentivos positivos" para financiar tais ações com recursos do mundo desenvolvido.
- Mercado de Carbono: "Decidimos seguir vários enfoques, incluindo as oportunidades de usar is mercados para melhorar a relação custo-rendimento e para promover ações de mitigação.

Retorno

Finalmente depois de um mês volto a postar no blog. Graças a Deus minha cirurgia foi um sucesso e daqui a dois meses estarei enxergando 100%.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Atualização do Blog

Queridos Leitores,

gostaria de explicar que o blog ficara alguns dias sem atualização. O motivo é que farei uma cirurgia delicada na visão e a recuperação é bem lenta. Espero logo, logo voltar a escrever.

Abraços.

domingo, 15 de novembro de 2009

República às avessas

O dia 15 de novembro é comemorado a Proclamação da República Brasileira. Queda do Império e implantação do regime republicano por marechal Deodoro da Fonseca. Até ai nenhuma novidade. A história oficial ainda esconde muitos detalhes deste grande “fato” tão importante para o país. Poucos sabem que a implantação da República no Brasil ocorreu de maneira tardia (1889) e as avessas. Existiam dois modelos de Repúblicas uma moldada de ideais republicanos “importados” da revolução francesa com seus lemas de igualdade, fraternidade e liberdade e a outra que decretou o golpe, iniciando a 1º fase de 1889 a 1894, período que ficou conhecido como República da Espada.


A República implantada foi uma seqüência de absurdos. Existia um partido Republicano, mas não é ele que proclama a República, quem proclama é o exército. Com um golpe que aconteceu da noite para o dia e sem a presença popular. O promotor do golpe Marechal Deodoro da Fonseca era militar graduado, monarquista e amigo do imperador. Antes o próprio marechal afirmava que a República no país seria uma desgraça. Assim que a República é implantada o congresso é dissolvido, ou seja, se dissolve uns dos símbolos da democracia.


Muitos monarquistas viraram republicanos repentinamente e muitos republicanos idealistas decepcionados com o projeto de nação implantado acabaram abandonando a luta. Pois a República que se apresentava não era o modelo ideal e sonhado com a participação popular.


O povo assistia “bestializado” descreve Aristides Lobo jornalista da primeira República. Porque as pessoas das classes baixas permaneciam indiferentes ao que estava ocorrendo no país. Ocorreram alguns focos de tensão, no governo de Deodoro e Floriano, muitos jornais foram depredados e fechados e opositores presos. Um exemplo de contestação foi à guerra de Canudos da qual Antônio Conselheiros via a República como um mal.


O projeto de República vencedor fez modificações na nova nação, que marcaram o início do século XX. Como a inserção compulsória do Brasil na “Belle Epóque”. Foram feitas transformações sociais, políticas e econômicas na então capital da República Rio de Janeiro. O que era desnecessário foi eliminado. A população pobre foi banida para as favelas era preciso trazer a civilização espelhada na Europa. Este período é marcado por muita desestabilização social. A crise na economia veio com o encilhamento onde foi impresso dinheiro a granel.


O nacionalismo foi um instrumento unificador da sociedade e usado para manter um espírito passivo nos cidadãos.


Segundo José Murilo de Carvalho no livro “Os bestializados” a República não produziu correntes ideológicas próprias ou novas visões estéticas, mas foi uma época caracterizada por grandes movimentações de idéias importadas da Europa. Idéias estas mal absorvidas ou absorvidas de modo parcial e seletiva, resultando em grande confusão de ideologias.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Procurai o luar! Procurai o luar!


Tirei esta foi em algum lugar do rio Amazonas. Quando viajava por suas águas tranquilas. Em uma noite quente de verão. Espetáculo fantástico da natureza.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Conselhos para jovens escritores

  • Rascunhar umas folhas durante dez minutos exatos cada dia. Depois de cada mês (e por nenhuma razão antes) ler o anotado. Esta leitura será uma surpresa bem-vinda ao seu autor. Dado que escreveu associando livremente. O material armazenado será diverso e muito útil para ser transformado em texto literário;
  • Copiar em fichas todos os finais que nos acorram para uma história assim como para seus inícios, experimenta todas as combinações possíveis e escolher a mais eficaz;
  • Contemplar a vida, os fatos, os sentimentos, as coisas, as palavras... com atitude de espanto, de estranheza e escrever a partir de novas percepções que assim tenhamos com todos eles;
  • Olha os objetos de nossa casa como se pertencessem a outro mundo e escreva sobre a nova forma de percebê-los;
  • Inventar novas formas de enfocar nossos atos cotidianos e escrever sobre eles;
  • Inventa um mundo em que as pessoas falem com as coisas e as coisas falem entre si;
  • Dentre todas as idéias que se amontoam em nossa mente, apontar uma; a mais simples, a mais atrativa ou a primeira que possamos pegar, sem nos preocuparmos por perder as restantes no caminho;
  • É bom relaxar uns minutos antes de começar a escrever, concentrar se na respiração para deixar fluir os pensamentos; pegar ao vôo palavras que passem pela mente e trazê-las à página;
  • Observe lugares bucólicos e descreva-os. Extrair notícias truculentas de jornais sensacionalistas e ambientar os acontecimentos em ditos lugares;
  • Escrever sem estar pendente do calendário, do relógio, nem do que consigamos; simplesmente fazê-lo;
  • Escrever sobre um tema, escolhido a consciência, que nos produza a mais intensa e íntima liberdade;
  • Imaginar várias situações que ocorrem em diferentes lugares ao mesmo tempo como método pra contar algo de diferentes pontos de vista;
  • Escrever um texto a partir da comparação de duas realidades: memórias, sonhos, experiências, sons, cheiros ...;
  • Escrever um texto a partir de semelhanças e diferenças resultantes de comparar-se com outra pessoa.
  • Encontrar as palavras que mais prazer nos produza ou mais significações nos provoquem para constituir-las em componentes de uma imagem;
  • Apelar a nossos sentidos diferenciando, aroma, sabores, sons. Observações e sensações táteis. Para incluir em listas para construir imagens;
  • Inventando situações, personagens, conceitos que nos permitem transgredir as funções da linguagem;
  • Reunir todo tipo de gênero e discursos e a partir do contraste entre eles, para constituir uma narração: notícia jornalística, e-mails, poemas, diálogos escutados ao passar, etc;
  • Analisar todo tipo de palavra buscando a maior quantidade de explicações possíveis em torno delas, nos contribui material para um texto ou nos permite, diretamente constituir o texto;
  • Pegar uma idéia conhecida e assustar-se diante dela como se nos fosse desconhecida como método para conseguir matérial literário;
  • Colecionar provérbios de diferentes origens para trabalhar com eles em um texto;
  • Inventar provérbios e brincar com o seu significado literal;
  • Preste atenção aos episódios diários, e transformar cada pequeno movimento ocorreu em um espaço comum: um bar, no metrô, um edifício, a praia, em um episódio pode provocar muitos outros;
  • Escolha momentos em diferentes horas do dia e descrever tudo o que sentimos e o que acontece ao nosso redor, mais perto e mais longe;
  • Pegar todo tipo de segredo: um “segredo de família”, um “segredo de confissão”, “segredo de estado”, “o segredo profissional”, como impulsores de um texto;
  • Mergulhar em nosso mundo interior, para resgatar todo o aspecto de que nós não ousamos expressar e colocar na boca de um personagem;
  • Contando o diferente e não evidente a cada dia;
  • A troca de textos com outros escritores pode surgir propostas e comentários reveladores;
  • Imitar uma página de texto de um escritor consagrado e verificar a montagem de palavras;
  • Resgatar a espontaneidade da criança. Tocar e criar com o que está à mão.


Traduzi estas dicas do site Ciudad Seva. Espero com elas consegui escrever pelo menos um conto. Nunca é tarde para se aventurar em em um novo gênero.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Dica: segredos do youtube

A internet tem muitos segredos. São tantas funcionalidades. Aqui uma que descobri fuçando o blog do Luis Nassif. Muito legal essa ferramenta. Bom para que aconteça a "mágica" no youtube é o seguinte, basta trocar no trecho do link de endereço (URL) que fica lá en cima ou do lado, onde está escrito watch por warp.swf , coloco aqui a diferença. É veja o que acontece.

link normal

http://www.youtube.com/watch?v=jnAWrJfH5L0

link modificado

http://www.youtube.com/warp.swf?v=jnAWrJfH5L0

Para que a tela volte ao centro ou se ficar carregado de bolas, apenas clique na bolinha verde lá no canto.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A hora da decisão está chegando

Ramón

RAMÓN


RAMÓN

Erlich

Ramón

Ramón

Ramón

RAMÓN

Ramón



Ramón, Jornal El País

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Morre Claude Lévi -Strauss autor de Tristes Trópicos

O campo das ciências sociais teve uma grande perda com a morte de Claude Lévi-Strauss morto aos 100 anos. O antropólogo francês foi um dos intelectuais mais influentes do século XX no campo das ciências sociais. Uma das sua muitas colaborações foi transformar a etnologia contemporânea elaborando um método original que reunia o estruturalismo e a psicanálise para interpretação dos mitos. Teve grande importância para o Brasil. Da qual passou longa temporada de 1935 a 1939, estudando tribos indígenas na Amazônia. Tristes Trópicos é uma de suas principais obras, autobiografia e também narrativa de sua viagem ao país. Entre suas obras estão: As Estruturas Elementares (1949), Antropologia Estrutural (1958), O Pensamento Selvagem (1962), Mitológicas (1964-71), Minhas Palavras ( 1984), Olhar, Escutar, Ler (1993) e Saudades do Brasil ( 1994).

foto: Jornal El País.

domingo, 1 de novembro de 2009

My Fair Lady


My Fair Lady (Minha Bela Dama) é um clássico do cinema. Venceu 8 Oscar em 1964 inclusive o de melhor filme. Conta a história de um professor que tenta transformar uma impetuosa, mal educada e grossa vendedora de flores, em uma educada dama capaz de frequentar as mais altas rodas da sociedade. Os métodos esquisitos usados pelo professor para a transformação de Eliza, arrancam muitas risadas. O final, ah! isso não conto, mas é surpreendente. Excelentes atuações de Audrey Hepburn no papel de Eliza Doolittle e Rex Harrison como professor Henry Higgins. É impossível deixar de ver esta doce e divertida comédia e um dos melhores musicais da história do cinema. Acima um trecho com a música Loverly.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Teatro Amazonas - Uma viajem na história da Amazônia


Inaugurado em 1896, esta obra prima do período áureo da borracha merece uma visita. Decorado por artistas europeus, foi projetado em Portugal com o objetivo de receber espetáculos de renomados interpretes líricos e grandes companhias de dança.

Projetado como uma jóia da "Belle Époque" encravada no coração da floresta, o Teatro Amazonas se destaca por sua cúpula, estrutura "turca" de 36 mil escamas de cerâmica esmaltada, com as cores da bandeira brasileira. O pano de entrada do palco está pintado com tema alusivo ao encontro das águas dos rios Negro e Solimões.

Atualmente, o Teatro Amazonas é palco do Festival Amazonas de ópera, que reúne renomados artistas do Brasil é do mundo. Este evento impulsiona o turismo local e se destaca nas principais revistas internacionais. Também hospeda outras atividades culturais, com programações que encantam turistas e habitantes locais.
Fonte: Prefeitura de Manaus.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Feitiços e Afrodisíacos do amor – Uma breve história

Ao longo da história sempre foram usados artifícios para se conquistar o amor ou aumentar a potência sexual. Por meio de ervas, mezinhas, simpatias, filtros, entre outros. As crendices e as superstições populares são formas de cultura. O importante não é acreditar ou deixar de acreditar nelas. Mas é interessante analisar as suas manifestações.


A presença da feitiçaria e da magia com cunho sexual é bem freqüente no Brasil, como relata Gilberto Freire em Casa Grande e Senzala. Veremos alguns exemplos: Para conservar o amante sob seu jugo precisa apenas a mulher viver com um sapo debaixo da cama, dentro de uma panela, alimentado a leite de vaca, outra é coser a boca do sapo depois de cheia de restos de comida da vítima. Também não se pode esquecer o papel importante que chegou a representar o café na magia sexual. Há mesmo no Brasil a expressão “café-mandingueiro”, mas é antes filtro amoroso que mandinga. Exemplo: coar o café em uma camisa que tenha dormido a mulher pelo menos duas noites consecutivas, este café deve ser bebido pelo homem duas vezes, uma no almoço outra no jantar. Outra é colocar três pingos da menstruação dentro café e dar para pessoa desejada, com intuito de prender a pessoa amada e torná-la mais dócil. Aliás, a camisa suja entra na composição de muitas outras mandingas de amor, entre outras coisas nojentas como: pêlos de sovaco ou das partes genitais, suor, lágrima, saliva, sangue, aparas de unha, esperma e até dejeções (fezes), o catimbozeiro sempre diz que “abranda o coração” das pessoas mais esquivas.


O uso dos afrodisíacos é muito antigo no mundo. Sempre foram muitos procurados com a função de reacender o desejo. Muitos vegetais guardam desde a antiguidade uma fama que o tempo não diminui. Como por exemplo, as plantas aromáticas: cravo–da-índia, louro, tomilho, alecrim, salva, grãos de mostarda, alho, cebola, o aipo, a cebolinha, o coentro e a hortelã. Encontrados em receitas destinadas a aumentar o vigor sexual. Na idade media há uma quantidade extraordinária de receitas afrodisíacas compostas de esperma humano ou animal, testículo de veado. Uma famosa é a raiz da mandrágora planta da qual lhe são atribuídas poderes afrodisíacos, esta só poderia ser colhida em noite de lua cheia e nascida perto de um patíbulo. É importante frissar que essas iguarias esquisitas, alguma contendo certa magia, eram recomendadas não só por charlatões, mas também por verdadeiros “sábios”, como Nostradamus, Para Celso, o Grande Alberto ou Nicolas Flamment.


O uso dos afrodisíacos em outras partes do mundo. Os árabes propagavam ainda a ação afrodisíaca de uso externo e local da hena. O chá de hortelã, ligeiramente tônico. Tornou-se entre eles bebida tradicional. Na Índia, o Kãma-sutra é rico em receitas. A China sempre teve um vivo interesse e grande engenhosidade na procura de afrodisíacos. A sopa de ninho de andorinha é famosa até nos dias de hoje.


Os anafrodisíacos são o contrário dos afrodisíacos. Tiram o prazer. Eles São numerosos e os antigos desconfiam deles. A escola de Salerme assinala os vegetais contrários ao amor: alface, cânfora, nenufar, salgueiro, lúpulo. Outros fatores prejudiciais á libido são o álcool consumido em grande quantidade e o tabaco.


As especiarias, simpatias, patuás ainda estão bem presentes nos dias de hoje, apesar de todo avanço científico como muitos medicamentos que “devolvem” o prazer. Exemplos são o que não faltam. Exemplo, na Amazônia ainda se encontra em muitos mercados “garrafadas” milagrosas que trazem o amor, ou ainda a patuás feito com a vagina do boto-fêmea ou pênis de boto, para deixar o homem ou a mulher mais irresistível. Este é um crime contra os animais. É difícil quem não conheça uma simpatia para arranjar namorado ou marido. Recorrendo muitas vezes até a santos católicos o que prova que os feitiços de amor não tem nada de profano. Exemplo pegue uma imagem de Santo Antônio, amarre uma fita vermelha e outra branca no braço da imagem. Peça que lhe dê um namorado. Pendure a imagem de cabeça para baixo sob sua cama e só desvire quando seu pedido se realizar. Ainda tem o chá de prego e o famoso ovo de codorna.


A cultura é um campo fértil para criação de crendices e superstições no imaginário popular, muitas vezes a forma encontrada para explicar a realidade que os cerca.

sábado, 24 de outubro de 2009

Cliquot



Para relaxar no final de semana nada como escutar uma boa música. Aí uma que gosto muito. Cliquot da banda Beirut.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Especialista diz que crescimento da população é chave para mudança climática


Uma matéria da Folha de São Paulo trouxe o depoimento do especialista argentino Osvaldo Canziani, que defende que impedir o aumento da população mundial é elemento-chave para fazer frente à mudança climática.

"É um tema que politica e religiosamente é crítico", avançou Canziani ao longo de uma entrevista no marco da Segunda Conferência Internacional sobre a Mudança Climática na qual participou e que nesta sexta-feira fechou suas portas no Centro de Convenções e Exibições de Hong Kong.

"O mundo inteiro terá que frear o aumento da população. Ninguém fala sobre isso, mas qual é a superfície de solo e de mares que temos para produzir alimentos? Não vai suportar", explicou Canziani, parte do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) da ONU (Organização das Nações Unidas) que recebeu o Nobel da Paz em 2007 (junto com Al Gore).

Para o meteorologista argentino, "o tema passa por começar a educar as pessoas. A cultura leva a um planejamento natural". Outras frentes para limitar a mudança climática passam por "reduzir o consumo e fazer uma transferência honesta de tecnologia", expôs o especialista. (Fonte: Folha Online)

Falar de controle de natalidade ainda é um tema muito polêmico, principalmente para muitos governantes. Mas, mais do que nunca é importante colocar o "dedo na ferida". As pessoas tem que começar a planejar. O desenvolvimento dos métodos contraceptivos estão muito avançados. É importante que também exista acesso a estes serviços. Segundo estudo do Instituto para Investigação de Políticas Alimentares (IFPRI, sigla em inglês) 25 milhões de pessoas estarão desnutridas em 2050 , devido aos efeitos das mudanças climáticas que ocasionará diminuição dos campos de cultivo, falta de colheitas e dos altos preços dos alimentos.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Maramonhagaba Manema - Guerreiro Covarde



Este vídeo de Leonardo Barcellos e Eduardo Barcellos fala sobre a destruição da natureza e de seus povos. A música é em Tupy-guarani.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Cartazes da II Guerra Mundial revelam uma intensa propaganda da guerra






Um dos piores conflitos da história completou 70 anos, a Segunda Guerra Mundial. Iniciada em 1939 matou cerca de 60 milhões de pessoas, fora as mutiladas. A propaganda tinham a função de persuadir a sociedade acerca da guerra. Por exemplo com frases como "Este é o inimigo" referindo-se a Adolf Hitler. Está briga ideológica entre os aliados x eixo vai durar até 1945, quando finalmente termina a pior guerra do século XX. Acima alguns exemplos de cartazes.

As imagens são da revista LIFE.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Campanha tic tac tic tac - Hora de agir pelo clima


A 15° Conferência das Partes sobre o clima (COP-15), acontecerá de 7 a 18 de dezembro de 2009 em Copenhague na Dinamarca. Os 192 membros da Convenção-Quadro das Nações Unidas terão que chegar a um objetivo comum. Firmar um acordo que reduza as emissões de gases causadores do aumento do efeito estufa, um dos responsáveis pela mudança climática que vem ocorrendo no planeta. Para forçar os governantes a achar uma solução para a crise climática foi criada uma campanha mundial. A campanha Global de Ações pelo Clima (GCCA, sigla em inglês) para assinar a campanha clique aqui.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Pura Atração

Ramón

Jornal El País, 07 - 10 - 2009

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Frutas da Amazônia - Açaí e Bacaba





O açaí é uma das frutas mais tradicionais e consumidas da Amazônia. Exerce um importante papel socioeconômico e cultural. A forma de consumir o açaí mais utilizada é atraves do consumo do seu vinho, que pode vir acompanhado de farinha de mandioca, farinha de tapioca ou mesmo com pratos salgados como peixe. Energético é rico em proteínas e fibras. A sua polpa também pode virar sorvete, licores, sobremesas, entre outros. Do açaizeiro praticamente tudo se aproveita. Dos seus frutos até suas raízes. A comercialização do palmito dessa palmeira levou a extração indiscrimanada e consequente redução do açaizeiro nativo. Essa palmeira pode atingir 25 m de altura. A cor de seus frutos varia de violeta a negro. As sementes são muitos utilizadas em artesanatos.

Os frutos de bacaba são bem parecidos com o de açaí. A forma de uso também , vinho. A cor de seus frutos variam de violeta ao negro quando maduras. Diferente do açaí, a bacaba por dentro é branca. O seu vinho também é leitoso de sabor muito agradável ao paladar.

As fotos acima foram tiradas no quintal da minha casa, por isso me considero uma pessoa privilegiada de poder viver rodeadas de árvores, não é todo mundo que tem um pomar no quintal. Temos várias espécies como: açaí (foto), pupunha, bacaba (foto), manga, cacau, ínga, goiaba, biribá, acerola, limão, laranja, coco. Tudo isso na cidade.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Uma breve história da comunicação

History of communication from DesignTV on Vimeo.


O vídeo de uma empresa de telefonia móvel do Reino Unido conta a evolução da comunicação em 1 minuto. Excelente. A direção é do ilustrador e animador Kristofer Strom. Pequei daqui.

domingo, 4 de outubro de 2009

Fotojornalismo - uma outra maneira de ver a notícia










O fotojornalismo é hoje um dos elementos essenciais da comunicação. Citando a famosa frase de Kurt Tucholsky uma imagem diz mais que mil palavras. Fotojornalismo de acordo com Lorenzo Vilches se trata de uma atividade artística e informativa, de crônica social e memória histórica. Além de informação visual Nilton Hernandes no livro A mídia e seus truques reafirma que uma fotografia deve ser uma das principais iscas para o olhar em uma página, ou seja, uma das importantes armas na estratégia de arrebatamento e de sustentação. Com suas cores, contrates, ocupação espacial, a foto precisa atrair a atenção do leitor para a unidade noticiosa da qual faz parte. O olhar deve ser fisgado. A evolução dos aparelhos fotografícos no início do século XX, acelerou o desenvolvimento do fotojornalismo. É inegável que a fotografia nos levar a ver o invisível através do visível como diz Gregório Magno. Um fotojornalista ou repórter fotográfico necessita de alguns requisitos:
  • Conhecimento profundo da situação política, social e cultural de seu país;
  • Compromisso com o seu trabalho social;
  • Sensibilidade. Aberto a tudo os que os rodeia;
  • Tecnicamente hábil.
  • Humano para entender a realidade.
As fotos acima pertencem a Wold Press Photos.